O bebê vai para casa, e agora o que fazer?

Calma! Antes de entrar em pânico, leia as nossas 10 dicas de cuidados nos primeiros dias do bebê em casa.

A Gestação em média duram nove meses intensos de emoções, expectativas, mudanças e necessidades, uma verdadeira maratona, como uma corrida contra o tempo. Em virtude disso, muitas vezes os pais não tem tempo de pensar: Como será quando o bebê chegar em casa?
É normal nos sentirmos inseguros e desamparados sem o apoio dos profissionais do hospital e muitas vezes sem um apoio presente de um amigo ou familiar experiente.
Para as mamães e papais de primeira viagem, sugiro que participem de um Curso para Gestantes. Existem muitos disponíveis no mercado.
Nosso objetivo hoje foi reunir 10 dicas para não entrar em pânico ao chegar em casa com o bebê nos braços. Confira!



1. Carregando o bebê
No momento do nascimento surge a primeira oportunidade de carregar o bebê e com o suporte das enfermeiras os pais vencem o medo.
Passado esse primeiro momento, muitos pais têm medo de carregar o bebê por se sentirem desajeitados e por medo de derrubar. Esse medo só será vencido, a medida que for enfrentado. Vá buscando ajustar o bebê da forma mais confortável em seus braços e com o tempo e prática você perceberá que é mais simples do que parece. Eles são molinhos, mas não são gelatina, não vão derreter e escorrer pelos seus braços, rss.
Atenção e cuidado para as moleiras, elas são bem sensíveis, então fique atento para não machucar a cabecinha do bebê, evite movimentos bruscos, faça tudo com muito cuidado e carinho e vai tirar de letra, afinal, NASCE UM BEBÊ, NASCEM OS PAIS!

2. Banhos e outros cuidados
Para muitos pais a hora do banho é um grande desafio. Mas essas dicas podem simplificar:
Organize tudo que precisa para o banho, tais como: fechar o ambiente para não ter corrente de ar, banheira, toalhas, produtos para o banho ao alcance das mãos, roupinha de troca, fraldas, pomada antiassaduras, material de higienização e esterilização do umbigo até que ele venha naturalmente a secar e se desprender. Organize tudo antes, para evitar que fique nervosa(o) no momento do banho.
A temperatura do banho precisa ser confortável, nem quente, nem fria pois a pele do bebê é muito sensível. Faça o teste da temperatura da água com seu cotovelo, uma parte sensível do seu corpo e sinta assim a temperatura da água até chegar a uma temperatura confortável.
Enrole o bebê como se fosse um casulo para lavar sua cabecinha, evitando que seus movimentos de braços e pernas te atrapalhem ao executar esse primeiro momento do banho.
Após secar a cabecinha, retire a toalha e comece a dar banho lavando todo corpinho, tendo cuidado para não molhar o umbigo enquanto esse não secar e se desprender.
É importante após a troca do bebê usar um algodão com soro e limpar a gengiva do bebê para evitar sapinhos e garantir a saúde da boquinha.
Cuidado com os produtos escolhidos, especialmente nos primeiros cem dias. A pele do bebê é muito sensível, fica muito exposta a riscos de desidratação e alergias. Cuidado também com perfumes e outras fragrâncias dos produtos de higiene e limpeza, tudo precisa ser muito suave, e vamos combinar: o bebê já tem seu perfume próprio e é maravilhoso!
A sugestão aqui fica para aproveitar o pós banho e fazer massagens com óleos próprios para bebês, que ajudam na hidratação e ainda aplicar a shantala (massagem indiana para bebês) será um momento de troca muito especial.
Os banhos de ofurô também serão muito indicados nos primeiros meses, pois, eles auxiliam no relaxamento e aliviam as terríveis cólicas.

3. Sono
As crianças tendem a trocar o dia pela noite, em virtude da sua vivência uterina. Os movimentos da mãe diurnos dão ao bebê ainda no útero a sensação de ninar e a noite quando a mãe descansa ele tende a acordar. Ao nascer a maioria das crianças tendem a trocar o dia pela noite. É importante entender que não existe uma regra, cada criança terá suas próprias características. O importante é começar a criar uma rotina de sono com o bebê desde a sua chegada em casa. Criar o ambiente para começar a embalar o sono do bebê, incluir um banho relaxante, massagem, ambiente com pouca luz, pouco ruído… tudo isso vai estimular o bebê a dormir e a proposta é ir tornando isso uma rotina, crianças precisam de rotinas.

4. Alimentação
A maioria das mulheres sonham em poder amamentar seus bebês, o que é muito importante e aconselhável para o desenvolvimento saudável. Porém, algumas não vão conseguir, infelizmente, então é importante entender que a prioridade é alimentar seu bebê e se para isso for preciso introduzir leite de fórmula, tudo bem, não era o planejado mas vamos em frente, converse com o pediatra e escolham a melhor alternativa.
Após alimentar-se você precisa colocar o bebê para arrotar, então não esqueça, isso é muito importante para o conforto dele.
As cólicas são muito comuns, mas existem vários medicamentos que podem ajudar a diminuir esse desconforto, aqui também seu pediatra vai te orientar.
Na prática, quando você começar a tornar isso rotina, fará sem pensar, será automático, mas é normal no início sentir-se inseguro, é um mundo de novidades que vem com um ser que não sabe dizer o que sente e o que quer, apenas chora para tentar se comunicar.

5. Troca de fraldas
Fique atento para não demorar muito entre uma troca e outra do seu bebê, pois pode desencadear assaduras, o que é muito desconfortável.
Nunca, em hipótese nenhuma, confie em deixar seu bebê no trocador sozinho por milésimos de segundos. Se organize de forma a ter tudo em mãos na hora da troca: produtos de higiene, pomada, fralda, roupa, talco, lenços, lixeira, tudo deverá está ao alcance das mãos.

6. Pediatra
Minha sugestão aqui é: procure antes do bebê nascer, marque uma consulta, converse, veja se você se identifica, pois o pediatra será um grande parceiro, um aliado, é muito importante confiança, segurança e bom relacionamento.

7. Vacinas
O pediatra irá orientar a respeito. Mas, normalmente os bebês já saem com uma carteira de vacinação da maternidade. Meu conselho é que vocês endureçam o coração (pois é muito triste o dia de vacina) e cumpra o calendário pelo bem do seu bebê. Muitas pessoas hoje estão disseminando sem nenhuma base científica ser contra vacinas e assim doenças que estavam erradicadas no Brasil, estão correndo risco de voltar, o que é muito preocupante, portanto, pense na segurança do seu bebê. A orientação dos pediatras normalmente é que não se deve levar o bebê para locais públicos antes da vacina dos três meses, pois antes disso, ele ficaria muito exposto às doenças. Mas o banho de sol é importante para mamãe e bebê, então faça isso de forma segura na sua casa até os 3 meses e garanta vitamina D.

8. Superaquecimento
A orientação é: NÃO SUPERAQUEÇA! Se você está com calor, ele também estará. Vista apenas um pouco mais que você. Muitos bebês chegam ao hospital com febre por excesso de roupa, então fica a dica!

9. Comunicação x Gestos e Choros
O bebê reconhece a voz da mãe (pai) desde o nascimento, portanto, se tem algo que é música ao ouvido dele é essa voz. Mesmo que você esteja cansada (pois não é uma maratona fácil), tente ao máximo passar tranquilidade na sua voz. Ele pode não entender o que você diz, mas a forma como você fala faz muito sentido. Transmita tranquilidade, converse olho no olho, cante, conte histórias, isso fortalecerá a relação de vocês dia a dia. A cada troca, a cada amamentação, a cada banho, comunique-se, pois ele vai te responder e é surpreendente a rapidez com que eles evoluem nessa interação. Com o tempo você entenderá o choro de fome, o choro de cólica ou dor, o choro de sono e até mesmo o choro de manha.

10. Visitas
Visitar um recém-nascido é muito natural, afinal, familiares e amigos desejam conhecer e dar as boas vindas a esse novo membro da família. Porém, alguns cuidados são pertinentes, pois o bebê ainda é muito frágil e vulnerável, então cabe a cada visitante bom senso e aos pais determinarem as regras desse primeiro momento.
No texto Existe vida social após a maternidade? do nosso Blog Papo de Carinho da semana passada, falamos sobre vida social após a maternidade e lá falamos sobre regras de etiqueta para visitar bebê recém-nascido. Confiram:

Se você gostou desse texto e essas informações foram importantes para você, por favor, deixe seu comentário e contribua para que possamos ajudar outros papais e mamães, afinal o Papo de Carinho também é seu espaço de interação.


Deixe um comentário 💕💗

Observe que os comentários precisam ser aprovados antes de serem publicados